segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Escola dos Sabores

Tive o prazer de ler o livro Escola dos Sabores da Erica Bauermeister no sábado. Sim, li em uma sentada só, como costumo brincar com a minha “madra”.  O livro, que é dela, é fofo e muito emocionante.

A história de Lilian, que as segundas-feiras promove em seu restaurante um curso de culinária. Essa turma, especialmente composta de 8 alunos, é cheia de lirismo e interligada por pontos emocionantes.

Recomendo o livro para quem tiver um tempinho de curtir uma rede, uma taça de vinho e muita preguiça.

Confesso que o nome original do livro é mais interessante THE SCHOOL OF ESSENTIAL INGREDIENTS. 

Abaixo segue a sinopse da livraria Cultura:

Todos os meses, na primeira segunda-feira à noite, a cozinha do restaurante de Lillian se transforma na Escola dos Sabores. Ali, um grupo de oito alunos se reúne para aprender deliciosas receitas. Ou pelo menos é isso que esperam que aconteça. Ainda criança, Lillian descobriu sua paixão pela culinária e o poder que a comida tem de transformar e curar a vida das pessoas. Por isso, sempre que inicia uma nova turma, ela observa os alunos atentamente, em busca de sua verdadeira motivação para estar ali. A cada aula, ela lhes apresenta um novo desafio - nada de receitas tradicionais, com quantidades definidas e descrição do modo de preparo. Em vez disso, coloca diante deles apenas alguns ingredientes essenciais e os convida a fechar os olhos e se deixarem levar pelos sentidos. À medida que os pratos são preparados, o grupo mergulha num mar de sensações. O cheiro delicioso de um bolo no forno remete à infância num país distante e faz lembrar os momentos mais felizes e os mais difíceis de uma união de longa data. Uma pitada de orégano no molho de macarrão traz de volta uma triste história de amor. A firmeza de um tomate maduro desperta a coragem de se libertar. Cada tempero, aroma e textura exerce um efeito mágico diferente sobre os alunos. Com o correr dos meses, eles têm a oportunidade de olhar para dentro de si mesmos e de conhecer uns aos outros. Ao fim do curso, terão descoberto muito mais do que os segredos da cozinha - paixões, vocações e amizades.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Quando tá escrito, está escrito e pronto

Se fosse meu iria chamar Quando tá escrito está escrito e pronto, mas o nome do conto abaixo é Encontro em Bokara

Ele é bem curtinho e dá para ler em 20 segundos.

Encontro em Bokara

A história faz parte de um conto de John O’Hara.
Um certo mercador persa pede ao seu servo que vá até o mercado comprar algumas peças de tecidos.
Ao chegar no mercado, o servo vê sua própria Morte fazendo algumas compras numa barraca próxima; apavorado, volta correndo até a casa do mercador.
“Tenho que ir embora daqui”, diz, quase chorando.“Vi minha Morte hoje de manhã, no mercado, e preciso fugir dela. Vou partir ainda hoje para Bokara, minha cidade”.
O mercador aceita o pedido do servo, mas fica desconfiado. Vai, então, até o mercado, encontra a Morte do servo.
“Puxa, que susto você deu em meu empregado”, diz ele.
“Ele também me deu um susto”, responde a Morte. “Eu jamais esperava encontrá-lo por aqui – afinal de contas, tenho um encontro marcado com ele em Bokara”.